O Funk na boca do povo

No começo de outubro, o Manos e Minas exibiu uma matéria sobre o crescimento do funk carioca na periferia de São Paulo. Deu pra perceber que o programa saiu na dianteira na discussão de um assunto que tá ganhando espaço nos meios de comunicação. Hoje, por exemplo, reportagem do jornal Folha de S. Paulo fala de como o funk tá virando febre na Cidade Tiradentes.  A primeira edição da revista Billboard, de outubro, também toca no assunto. Pois é galera, a discussão sobre o funk vai ganhando força (independente de se gostar dele ou não), mas apareceu primeiro foi no nosso Manos e Minas!

Perdeu a matéria? Não tem problema, se liga:

http://www.youtube.com/watch?v=WNtWGLCNOjk

http://www.youtube.com/watch?v=PdKM0k-VsCE

Anúncios

A História do Hip Hop em Sampa no Manos e Minas

Quem acompanha o blog, tá ligado que há um tempo atrás a gente comentou que a produção do programa estava preparando um especial sobre a história do hip hop em São Paulo. Pois é galera, as matérias ficaram prontas e estão quentinhas, saindo do forno!!!

São quatro reportagens que fazem uma retrospectiva do hip hop em São Paulo, desde os primeiros passos no centro da capital paulista, até os novos talentos que comprovam a força desse movimento.

A primeira matéria da série, que vai ao ar nesse sábado, 28 de novembro, fala do começo de tudo, quando a rapaziada se reunia no Largo São Bento e na 24 de Maio. Depoimentos de Nelson Triunfo, MC Jack, Marcelinho Black Spin e  João Break relembram a época que o hip hop começava a caminhar na história da música brasileira.

Então é isso: não dá pra perder!!!!

Na ordem do dia, o Orgulho Negro

Que o Brasil é um país mestiço, todo mundo sabe. Todo mundo sabe também que a pele escura, morena, mulata é comum nas ruas do Brasil.  O país tem a maior população negra fora da África e pela primeira vez na história, desde que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desenvolve sua Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (PNAD), mais da metade da população brasileira se define como negra ou parda.

Tendo esse fato como gancho, o Manos e Minas preparou uma reportagem sobre o Orgulho Negro, dentro do especial Consciência Negra. O que mudou na sociedade brasileira pra esse orgulho crescer a olhos vistos?  Isso veio pra ficar? Em que ainda precisamos avançar? Se liga na matéria que vai ao ar neste  sábado.

Ah, e o programa mostra também imagens inéditas do Sabotage. Nosso videorrepórter Rodney Suguita revirou seu arquivo e encontrou imagens do saudoso rapper em estúdio.  E no palco do Manos e Minas, o suingue do Sambasonics.

Como não custa nada lembrar, Manos e Minas começa mais cedo, às 18h, com reprise às 1h15.

Com vocês, os grafites do Manos e Minas

Como vocês sabem, todo programa a gente conta com a participação de um grafiteiro ou grafiteira mostrando a sua arte. A cada a gravação, sempre uma nova tela surge, que integra o cenário do Manos e Minas.

A gente selecionou algumas imagens desses trabalhos pra vocês. Se liga na galeria:

Tem mudança de horário na área

Gente, se liga que o Manos e Minas mudou de horário. Continua no sábado, mas agora uma horinha mais cedo. Quer dizer que o programa entra no ar às 18h!!!

Nossa super reprise da madrugada continua: às 1h15 de sábado pra domingo, logo depois do Cine Brasil. Ah, e segunda não tá mais rolando ao meio dia e meia.

Então, recapitulando: sábado as 18h, com reapresentação às 1h15.

 

Novembro: mês da Consciência Negra

Zumbi

O guerreiro Zumbi se tornou símbolo da luta pela liberdade

 

Em todo o Brasil, o 20 de novembro marca a celebração da Consciência Negra. Em algumas cidades, como São Paulo, é feriado com grandes celebrações. Nessa mesma data, em 1695, foi assassinado Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, a maior e mais organizada comunidade de escravos que lutavam pela sua liberdade e dignidade.  Por essa razão, o movimento negro brasileiro considera o 20 de Novembro como símbolo da luta pela igualdade da população negra no Brasil.

Como isso muito nos interessa, o Manos e Minas preparou algumas matérias especiais que começam a ir pro ar no programa deste sábado, dia 14. Pra começar, toda a força dos tambores do Jongo e do Batuque de Umbigada, herança deixada pelos escravos trazidos para o trabalho forçado nas fazendas de café do interior paulista.  Além disso, outra matéria mostra as conexões entre África e Brasil, no campo artístico. Sabia que lá em Angola tem um programa muito familiar? Deu curiosidade né? Aposto! Então se liga no Manos e Minas deste sábado que, mudou de horário, agora é às 18h, com a aquela reprise básica às 1h15 da madrugada de sábado pra domingo.

E no programa do dia 21 de novembro tem mais matéria especial sobre Consciência Negra, mas semana que vem a gente conta mais.

Ah, e se quiser saber mais sobre Zumbi e o Quilombo dos Palmares, se liga e clica no link.

E como diz a canção do grande Jorge Benjor: Zumbi é o senhor das guerras, senhor das demandas / quando Zumbi chega é Zumbi é quem manda!!!

 

Essas minas representam!!!

As minas estão, cada vez mais, conquistando seu espaço no hip hop. Nesse sábado, videorreportagem de Rodney Suguita mostra o trampo de Rúbia, Amanda, Nati, Stephanie: mulheres MC’s que representam. É nesse sábado, 7 de novembro, às 19h00 com aquela super reprise na madrugada de sábado para domingo, às 1h30.

meninas mcs1